A Organização Nacional Antidopagem de Cabo Verde (ONAD-CV) quer aproveitar os Jogos Africanos de Praia, em 2019, na ilha do Sal, para que o país consiga montar o primeiro laboratório acreditado pela Agência Mundial Antidopagem em África.


A determinação foi manifestada hoje pelo presidente da ONAD-CV, Emanuel dos Passos, no final do encontro de trabalho com o Conselho Directivo da Comissão Organizadora dos Jogos Africanos de Praia (COJAP), na Cidade da Praia, com o propósito de alinhar estratégias, como o controlo de dopagem, a se ter em conta no maior evento desportivo a ser realizado em Cabo Verde.
“Neste momento não há nenhum laboratório acreditado pela Agência Mundial em África e nós queremos aproveitar esta oportunidade para fazer com que Cabo Verde, mais uma vez, volte a ser referência em África”, elucidou o responsável, alegando estar a mobilizar parceiros para a criação de condições.
Emanuel dos Passos reconhece, entretanto, que o processo para a criação e acreditação do laboratório leva tempo e requer dinheiro, razão pela qual encontra a solução para os I Jogos Africanos de Praia, na mobilização de parceiros internacionais que permita fazer a recolha de amostras, no sentido de serem enviadas para laboratório acreditados, fora do país.
Já a presidente da COJAP, Filomena Fortes, responsável do Comité Olímpico Cabo-verdiano, disse que a organização dos Jogos de Praia, empossada mês passado, já está a encetar esforços para estabelecer parcerias e que o envolvimento da ONAD-CV se “torna imprescindível” para que se faça os despistes do doping durante os jogos.
“Já demos todas as coordenadas ao presidente da ONAD-CV para que possa ser utilizado durante os jogos, para que não haja problemas durante o evento”, explicou Filomena Fortes, para quem o COC tudo fará que assegurar a qualidade dos “I Jogos de Praia” nesta que vai ser “a maior montra desportiva que Cabo Verde algum dia irá receber”.
Prometeu encontros do tipo com todos os departamentos governamentais no sentido de fazer o levantamento de pontos focais para trabalhar em conjunto de forma que sejam criadas as condições para o sucesso destes jogos, “que custam milhões”.
Cabo Verde ganhou a organização dos I Jogos Praia em 2017, após uma candidatura que teve como impulsionador o COC em parceria com o Governo, tendo já assinado em Janeiro, na Argélia, a convenção com a ACNOA para a realização do evento.
Os Jogos serão realizados na praia de Santa Maria, na ilha do Sal e, segundo a organização, contarão com a participação de 54 países de África e um total de 19 modalidades e mais de 100 atletas.
Inforpress