A Direcção-geral dos Desportos (DGD) assinou hoje, na Cidade da Praia, contratos-programa referentes à época 2017/18 com as federações de várias modalidades desportivas, no valor de mais de 30 milhões de escudos cabo-verdianos.


Deste montante, o andebol vai receber 11,2 milhões de escudos, o atletismo 5,2 milhões de escudos, o boxe 5,2 milhões de escudos, voleibol 6,9 milhões de escudos e o xadrez 2,5 milhões de escudos.
Na cerimónia de assinatura,  o director-geral dos Desportos, Anildo Santos, disse que o contrato-programa é uma ferramenta de gestão que o Ministério do Desporto coloca à disposição das federações para dar “vazão à materialização dos seus planos de actividade”, garantido os apoios às associações regionais das diferentes modalidades.
Este contrato-programa, segundo Anildo Santos, visa igualmente promover a criação de emprego nas federações e a formação em função das necessidades das modalidades.
“Através deste contrato-programa comparticipamos nas competições internacionais, pagamos a quotização de todas as modalidades nas suas filiais internacionais, garantimos também alguma participação nos congressos das modalidades promovidos pelas organizações congéneres e a realização dos campeonatos nacionais a todas modalidades”, sintetizou o responsável.
O director-geral dos Desportos disse, na ocasião, que quem faz o desporto é a sociedade civil, mas o Estado continuará a ser “o principal promotor” do desporto nacional.
O presidente da Federação Cabo-verdiana de Andebol (FCA), Nelson Martins, sublinhou a importância da assinatura do contrato-programa e afirmou que o montante que vai ser disponibilizado pela DGD vai contribuir para a materialização do programa de actividade da organização.
“Temos estado nesses três meses a realizar as nossas actividades, fruto do nosso esforço. Mas com o apoio concedido pela DGD vamos levar a cabo de forma cabal as nossas actividades programadas para este ano”, salientou Nelson Martins, um dos cinco signatários do programa.
 
Inforpress