Cabo Verde encerrou esta sexta-feira a sua participação na 43ª Olimpíade de Batumi (Geórgia) com uma vitória por 3-1 sobre as Ilhas Virgens Americanas e termina a prova no 170º posto num universo de 184 selecções.


No cômputo geral, a selecção cabo-verdiana teve um saldo de três vitórias, um empate, sete derrotas, sendo duas delas pela margem mínima.
Em declarações à Inforpress, o presidente da Federação Cabo-verdiana de Xadrez, Francisco Carapinha disse que o objectivo principal foi cumprido, ou seja, “não ficar em último lugar” nesta primeira participação da selecção nacional neste evento internacional, tendo se mostrado satisfeito pelo facto de o arquipélago ter terminado a prova com os mesmos pontos que Qatar (159), e se posicionado à frente de 14 selecções.
De acordo com Francisco Carapinha, Cabo Verde pode orgulhar-se da participação da sua selecção nesta olimpíada, cuja delegação integrou ainda os xadrezistas Luís Barros, Luís de Pina Fernandes, António Monteiro e Eder Márcio Pereira.
Outra novidade saída desta Olimpíade de Geórgia, é que foi constituída a Confederação Lusófona de Xadrez, integrada por países como Cabo Verde, Angola, Brasil, Macau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste, cuja sede será em Cabo Verde.
A comissão de gestão estará em funções até a Olimpíada de 2020 e é constituída pelos presidentes das Federações de Cabo Verde, do Brasil, Portugal e Timor-Leste.
Inforpress