Cabo Verde tem já assegurada a sua primeira participação de sempre numa edição dos Jogos Mundiais da Especial Olympics - Organização Desportiva Internacional que trabalha com pessoas com deficiência Intelectual – que decorrem em Abu Dhabi, no mês de março.


A boa nova foi hoje confirmada pelo Presidente do Comité Paralímpico cabo-verdiano, José Rodrigo Bejarano ao Diretor-geral do Desporto (DG), Anildo Santos, em encontro no quadro das negociações e assinatura do contrato-programa a ser assinado entre as partes para a nova época desportiva.
Cabo Verde deverá participar com uma delegação de nove pessoas, sendo estes os atletas Adérito Nunes, António dos Santos, Tamires Rodrigues (todos da cidade da Praia) e Marlene Levy (Sal), e os treinadores Paulo Soares (Praia) e Jaqueline Reis (Sal), José Rodrigo Bejarano, atual presidente do Comite Paralímpico Cabo-verdiano (COPAC), na qualidade de “Chair Person” e Elton Gonçalves, atual secretário-geral do COPAC, enquanto Chefe de Missão.
Trata-se, segundo os responsáveis do COPAC de um momento alto para o desporto adaptado nacional e o culminar de um processo que começou há já algum tempo, com um convite endereçado a Cabo Verde, através do MD/DGD que encaminhou para o COPAC no sentido de ingressarem na família do Special Olympics.
A isto se seguiu uma formação sobre os Special Olympics no Quénia, em outubro de 2018 e que abriu o caminho para essa participação nestes Jogos Mundiais.
Na sequência, em janeiro de 2019, uma delegação do COPAC viria a participar numa reunião de lideres em Joanesburgo (Africa do Sul) para discussão sobre o processo de participação nos Jogos Mundiais e que viria a confirmar esta histórica participação. Uma deslocação que contará, certamente, com o alto patrocínio do MD/DGD, tendo Anildo Santos aproveitado para felicitar o COPAC pelo facto.
Outro tema do encontro foi a nova Federação Cabo-verdiana de Desporto Adaptado e que estará na fase final da sua consumação, faltando apenas fechar a assembleia constitutiva bem como os aspetos burocráticos, que deverão ficar concluídos ainda este mês. Inclusive, já haverá consenso para a indigitação de Júlio Rocha do Sal para presidir esta nova federação que responsabilizar-se-á pela organização do desporto adaptado a nível nacional, ficando o COPAC com a responsabilidade das participações internacionais.
Entre os grandes desafios do COPAC e do desporto adaptado neste ano pré-paralímpico estarão as participações nos eventos internacionais para apuramento à fase final dos Jogos Paralímpicos Tokyo 2020.
O projeto da COPAC Tokyo 2020 inclui sete atletas, sendo de que duas delas contarão com a colaboração do Comité Paralímpico Internacional, através da Agitos Foundation, para participar no Gran Prix da Tunisia. São elas as atletas revelações Keula Semedo (medalha de bronze no VI Meeting de Túnis) e Laidine Maia Garcia (ouro salto em cumprimento T2 nos Jogos da CPLP STP 2018).
Gracelino Barbosa (campeão mundial dos 60m barreiras), claro, é o nome forte deste projeto paralímpico, ele que irá participar no campeonato do Mundo da Federação Internacional De Atletas Com Deficiência Intelectual (INAS), na Austrália.
DGD