O cavalo “Invasor”, comandado pelo jóquei Valdemar Gonçalves Sousa, de Santo Antão, venceu hoje a corrida de cavalos na Praia, troféu que arrebata pela segunda vez consecutiva nessa prova que se enquadra nas festas do município.


“Invasor” venceu na categoria de cavalos Puro Sangue Inglês (PS) ou estrangeiros, e o seu jóquei teve direito a uma taça e um prémio monetário de 210 mil escudos e ainda a um troféu de jóquei vencedor.
Apesar de vencer, pela segunda vez consecutiva,  Valdemar Sousa que é do Porto Novo, mas e vive na Boa Vista, disse à Inforpress que estava surpreso com esta conquista por causa de problemas que teve que enfrentar.
“Foi uma grande corrida e eu não estava à espera que o meu cavalo ganhasse a prova porque ele estava com muitos problemas, mas felizmente fomos preparando-o até que conseguimos vencer e hoje estou muito feliz por ser bicampeão aqui na cidade da Praia”, afirmou o jovem de 22 anos, que também já venceu troféus nas festas dos municípios do Paul e da Ribeira Grande.
O cavalo “Anak”, montado pelo jóquei Kelvin Neves, ficou no segundo lugar, com direito a um prémio monetário de 160 mil escudos e um troféu, enquanto a égua “Arley”, do jóquei Rodrigo Fernandes, que ficou no terceiro lugar, conquistou um prémio de 130 mil escudos e um troféu.
Na categoria Cruzados Nacionais, os vencedores foram o cavalo “Ciclone”, comandado pelo jóquei Mauro Semedo, que conquistou o 1º lugar levando 100 mil escudos e uma taça, “Prince”, do jóquei Bilick da Luz, que ficou no segundo lugar, e levou 80 mil escudos e uma taça, e ainda “Nero”, do jóquei Odílio Amador, que arrebatou uma taça e um cheque de 60 mil escudos.
O dirigente da Associação CV Galope, Jorge Pires Ferreira, entidade que organizou a prova em parceria com a Câmara Municipal da Praia,   defendeu que o balanço da prova foi positivo porque em cada edição a preocupação tem sido sempre ver os prontos fracos e corrigi-los.
“A nossa preocupação todos os anos é a melhoria contínua, ou seja, observar alguma coisa que achamos que pode ser melhorado para melhorar no ano seguinte para que com o andar do tempo a coisa corre melhor”, afirmou o dirigente da CV Galope, que organiza esta corrida pela 5ª vez na cidade da Praia.
Um dos pontos positivos que destacou este ano foi a maior adesão do público, em comparação com o ano passado, o que se deve à disponibilização de mais bancadas. No entanto, criticou a atitude das pessoas, principalmente as crianças, que costumam atravessar a pista pondo em risco a sua própria segurança e a segurança dos cavalos e doo jóqueis.
“Continuamos a apelar as pessoas a não entrarem na pista para maior segurança, mesmo no final da corrida. No ano passado um cavalo magoou uma criança, porque as crianças são curiosas e querem vê-los de perto e isso é muito perigoso”, apelou.
A 5ª edição da corrida de cavalos, organizada pela Associação CV Galope, teve como palco a Ribeira do Paiol e contou com a participação de cavalos do Fogo, da Praia, de São Vicente e de Santo Antão.
Inforpress