O Desporto cabo-verdiano, graças aos seus agentes atletas, treinadores, árbitros e dirigentes, atingiu níveis inimagináveis.


Hoje, Cabo Verde deve orgulhar-se de ter pisado vários palcos desportivos regionais, continentais Mundiais, Olímpicos e Paralímpicos com resultados concretos. Somos Campeões do Mundo (Mitú, Márcio Fernandes e Gracelino Barbosa), somos Campeões Africanos em Taekwondo, somos medalha de bronze nos Jogos Paralímpicos, Rio'2016 e com certeza muitas outras proezas estão para vir a favor dos nossos atletas e seleções nacionais.
Para o efeito, o Sistema Desportivo Cabo-verdiano tem de estar muito bem organizado e estruturado por forma a dar vazão às procuras e às exigências que o mundo do desporto moderno exige dos Estados. Daí a figura do Instituto do Desporto, uma instituição personalizada capaz de gerir o Desporto Nacional.
Um organismo autónomo, com estatuto próprio em função da sua orgânica tem sido há muito reivindicado pelos agentes desportivos, e reconhecido pelos sucessivos Governos, a partir do momento que, nos meados da década de noventa, o Desporto Nacional começou a sua internacionalização pelo Continente, nas competições Mundiais e Olímpicas.
As exigências passaram a ser outras e só a criação de um Instituto do Desporto poderia responder cabalmente às procuras desportivas de forma eficaz e eficiente. Aliás por ser uma reivindicação há muito acalentada o atual Governo, no seu Programa de Governação e na atualização da nova Lei de bases para o sector, não teve dúvidas, contemplou a criação do Instituto do Desporto, que também engloba o Sector da Juventude como forma de ter mais e melhor Desporto e Juventude para o País.
Por isso, o Governo aprovou em reunião de Conselho de Ministros, dia 5 de agosto, o Projeto de Proposta de Decreto-Lei que Cria o Instituto do Desporto e da Juventude. Uma medida de reforma estruturante que irá continuar a reforçar o papel dos jovens, quer através do desporto, quer através do associativismo juvenil e das politicas públicas para a área da juventude.
A criação do Instituto do Desporto e da Juventude enquadra-se na reforma institucional, e vem na sequência de grandes reformas legislativas que o Governo tem vindo a fazer, nos últimos anos, no setor do desporto.
DGD