O Diretor Geral dos Desportos, Anildo Santos, recebeu nesta quinta-feira, o representante da Fundação Agitos do Comité Paralímpico Internacional, Jorge Carvalho, que se encontra em Cabo Verde para encetar visitas técnicas a instituições ligadas ao desporto e à inclusão social para apoiar o Comité Paralímpico de Cabo Verde (COPAC) na elaboração do Plano Estratégico 2020/2024.


De realçar que Jorge Carvalho foi acreditado pela Fundação Agitos como mentor de Cabo Verde para consultoria e colaboração na elaboração do Plano Estratégico 2020-2024, no âmbito da formação programa de capacitação organizacional realizado em outubro de 2019 em Joanesburgo- África do Sul em que participaram dois técnicos da COPAC.
O programa de capacitação organizacional é um projeto da Fundação Agitos que está a ser desenvolvido a nível mundial, beneficiando 100 países, com o objetivo de melhorar as organizações e os seus recursos. O objetivo é, segundo Jorge Carvalho, elaborar um Plano Estratégico introduzindo os princípios da boa governança no Comité, que vai se traduzir na melhoria da prestação de serviços, tendo mais e melhores atletas pensando também numa visão de futuro.
“Isso permitirá ao país ter uma organização devidamente legal e reconhecida pelo Governo com o principio de democraticidade”, destacou o representante da Fundação Agitos, que explicou a visita técnica à Direção Geral dos Desportos enquanto instituição que é responsável pela promoção e execução da política desportiva nacional serve para sensibilização e acompanhamento do processo.
Jorge Carvalho enalteceu o trabalho que está a ser feito pelos Comités Olímpico e Paralímpico num projeto conjunto que vai permitir ter uma equipa Cabo Verde e apela à continuação de apoios ao COPAC.
Por sua vez, o Diretor Geral dos Desportos, Anildo Santos, realçou que reconhece o brilhante trabalho que o COPAC tem estado a fazer na massificação da modalidade desporto adaptado, na democratização e no envolvimento de jovens rapazes e meninas.
Adiantou que o projeto é de enaltecer e que Direção Geral dos Desportos estará sempre de “braços abertos” para apoiar a organização cabo-verdiana na massificação e integração das pessoas com deficiência, acreditando que os cabo-verdianos já estão hoje mais “mentalizados” sobre a questão e que daqui a alguns anos espera que o país esteja mais realista em relação à inclusão social.
DGD