A localidade de Picos Acima, em São Salvador do Mundo, no interior de Santiago, ganhará, dentro de dois meses, uma placa desportiva para servir a comunidade e escola local, cujas obras arrancaram hoje.


A informação foi avançada hoje à Inforpress pelo vereador da Juventude, Cultura e Desporto, Euclides Silva, informando que se trata de uma infra-estrutura desportiva com dimensão 33 x 18 metros (m), que contempla a construção do piso, baliza, bancada, vedação em blocos/redes e pintura, num investimento de 5.000 contos.
Daí que, segundo o autarca, dentro de 60 dias esse município rural, cuja população é maioritariamente jovem, passa a contar com cinco placas desportivas, tendo em conta que até agora existiam apenas quatro para 18 localidades, nomeadamente em Achada Igreja, Leitão Grande, Jalalo Ramos e Purgueira (em construção).
A mesma fonte lembrou que a placa desportiva de Achada Igreja foi construída em 2004 antes da separação de São Salvador do Mundo de Santa Catarina, e que as demais são do mandato 2016-2020.
Além da construção dessa placa desportiva, uma das reivindicações mais antigas da população local, sobretudo dos jovens, a autarquia salvadorenha prevê para 2020 o arrelvamento do campo de Achada Leitão, num investimento de 25 mil contos, em parceria com o Governo.
A este propósito, Euclides Silva adiantou que o concurso já está finalizado, e que assim que a câmara receber o montante do Governo vão arrancar de imediato com as obras do arrelvamento do campo de Achada Leitão.
No entanto, assegurou que a equipa camarária liderada por Ângelo Vaz cumpriu tudo o que prometeu no sector do desporto.
Ou seja, ajuntou que prometeram quatro placas desportivas, sendo que duas já estão concluídas (Leitão Grande e Jalalo Ramos) e duas em curso (Purgueira e Picos Acima).
Referiu ainda à aquisição de um terreno por parte da câmara para a construção de uma outra placa desportiva em Leitãozinho, cuja terraplanagem inicia na próxima semana.
O vereador anunciou ainda para breve o arranque das obras no campo de Covão Grande, num investimento de 1.500 contos.
FM/CP
Inforpress