A presidente do Comité Olímpico Cabo-verdiano (COC), Filomena Fortes, classificou de “grande importância” para o futuro do desporto nacional o I Congresso Olímpico Cabo-verdiano, encerrado este domingo na capital cabo-verdiana.


Fortes é de opinião que o congresso trouxe ao país especialistas e prelectores que partilharam com os nacionais as suas largas experiências nestas andanças com vista a poder dar a Cabo Verde a “filosofia do olimpismo enquanto a filosofia de vida”.
Doravante, atestou, as sementes já foram lançadas, pelo que resta ao COC e a Cabo Verde partirem em acção para a materialização das acções propostas durante o Congresso.
Disse que o COC vai trabalhar para pôr na prática as exigências saídas deste colóquio, ressalvando que a instituição que dirige tem já o aval dos prelectores no sentido de junto trabalharem para a desenvolvimento do movimento olímpico cabo-verdiano, tanto no país como na diáspora, enquanto a 11ª ilha deste arquipélago.
Mal termina este primeiro congresso, Filomena Forte promete trabalhar para a organização deste evento anualmente, alegando que a “prata da casa” já tem informação suficiente para que a família olímpica cabo-verdiana possa participar, de forma mais activa, em iniciativas que visam a promoção do desporto.
O I Congresso Olímpico Cabo-verdiano teve a participação de 21 preletores que abordaram temas como o "Olimpismo ética e sociedade", "A Educação Olímpica no Sistema Educativo", "A Situação Desportiva de Cabo Verde", O Movimento Olímpico em África e a Promoção do Turismo no Arquipélago de entre outras.
Um dos pontos altos deste congresso foi o descerramento da placa Travessa Pierre de Coubertin, nome por que passa a ser oficialmente designada a rua onde se encontra instalado o Comité Olímpico Cabo-verdiano, no Meio de em Achada de Santo António.
A cerimónia de inauguração foi baptizada pelo presidente de Honra do Comité Internacional Pierre de Coubertin, Conrado Durántez e pelo Presidente do Comité Pierre de Coubertin do Brasil, Nelson Todt.
Paralelamente ao Congresso, o Comité Olímpico cabo-verdiano assinou protocolos com de parcerias com a Associação Bons Amigos, a Associação da Defesa do Ambiente e Desenvolvimento (ADAD), o Instituto da Criança e do Adolescente (ICCA) e as Tendas El Shaddai.
Fonte: Inforpress