Jogou mal, passes errados, sem velocidade e cometendo muitas faltas.


Teve momentos em alguns jogadores nāo tinham oposição, abrindo autênticas avenidas. Com espaços passaram a ameaçar constantemente o "porteiro" Vozinha.

Os destaques dos Tubarões Azuis eclipsaram. Nulidades. Expectava-se mais de Ryan, Djanine ou Helton.

Parecia a seleção do último CAN. Sem ideia, de pouca ambição enfim muito previsível.

Quênia não ficou a dever em nada. Fez tudo direitinho perante a sua festiva torcida. Cumpriu e superou a 32ª seleção do "ranking" da FIFA. Abrindo, assim, uma bela vantagem para a jogo de "volta".

Cabe a Cabo Verde mudar o comportamento, jogando mais, dia, 17 no Estádio Nacional, na capital Praia.

Em casa com o nosso publico é possivel reverter este resultado. Entretanto, pede-se uma atitude diferente; de menos erros e sobretudo maior ambição, tipo do tamanho ou maior que o mar, o "nosso habitat". Afinal somos ou não os Tubarões Azuis?

Caso a postura for a mesma, de hoje ficariamos de fora, com certeza. Seria o adeus a fase de grupo e o desvanecer do sonho de chegar a distante Rússia... em 2018!

Jose Henrique A. Barbosa