O dirigente desportivo e técnico de futebol Celestino Mascarenhas já está a trabalhar a sua lista para concorrer à presidência da direcção da Federação Cabo-verdiana de Futebol, na assembleia-geral electiva de 30 de Setembro.


Celestino Mascarenhas avançou à Inforpress que pretende constituir uma “forte equipa”, formada por “pessoas comprometidas” com o desenvolvimento do futebol e promete mesmo trabalhar para o engrandecimento do futebol cabo-verdiano.
Conhecido pela sua vasta experiência como dirigente, sobretudo no campo desportivo, Celestino Mascarenhas anuncia como uma das suas grandes preocupações, “depois de arrumar a casa”, caso for eleito, trabalhar no sentido de revogar os Estatutos no tocante às eleições na FCF, por entender que “não deve ser só as associações regionais a tomarem parte nos actos electivos da FCF”.
É que para este provável candidato na corrida à FCF, trata-se de uma “questão demasiadamente importante para serem somente 11 votos a determinarem questões tão importantes como são a vida das Federações com enfoque na de futebol”.
Mascarenhas é de opinião que a Federação tem um orçamento superiormente a muitas das câmaras municipais do País, pelo que, a seu ver, esta corrida às eleições deve contar com o maior número de candidatos, quando, à luz do actual regulamento, apenas podem concorrer os candidatos que apresentem um terço de assinaturas das 11 associações regionais.
Portanto, só podem concorrer ao pleito eleitoral para a FCF dois candidatos.
Fundador do mítico Avenida/77 e outrora treinador de futebol, com títulos regionais conquistado em Santiago Sul e Ilha do Maio, bem como a conquista da primeira edição da Taça de Cabo Verde pela Académica da Praia, em 2007.
Celestino Mascarenhas torna-se na segunda candidatura anunciada após a pretensão do jornalista e professor José Mário Correia.
Celestino Mascarenhas tem ainda uma condecoração pelas suas funções enquanto desempenhava o cargo do coordenador da selecção de Cabo Verde.
Refira-se que a Federação Cabo-verdiana de Futebol vai a assembleia-geral electiva a 30 de Setembro, na sequência destituição, fim-de-semana último, da equipa liderada por Victor Osório, pelo que de momento a FCF está a ser gerida por uma Comissão de Gestão, presidida por Mário “Donnay” Avelino.
Inforpress