A Federação Cabo-verdiana de Futebol (FCF) pretende avançar com um Fundo de Apoio aos Clubes e um Fundo de Apoio aos ex-futebolistas nacionais, apoiados pela FIFA e outras instituições parceiras.

O primeiro, teria como premissa premiar, sobretudo, os clubes com os melhores desempenhos a nível da gestão e também da performance desportiva, enquanto o segundo fundo, como indica o nome, visará apoiar os ex-futebolistas nacionais em condições precárias, sobretudo a nível da saúde.
A informação foi avançada esta tarde pelo presidente da FCF, Mário Semedo em reunião de arbitragem com o Ministério do Desporto/Direção Geral dos Desportos (MD/DGD) no Palácio do Governo.
De acordo com Mário Semedo, o Fundo de Solidariedade aos ex-atletas tem como preocupação o apoio aos ex-futebolistas nacionais, muito dos quais,pela condição amadora do nosso futebol, passam por situações de grande aspeto financeiros na vida pós-futebol e mesmo durante a carreira nos relvados nacionais, e outros com risco de contraírem graves lesões no futebol com consequências nas suas vidas laborais e pessoais.
Esse fundo, para o qual a FCF quererá contar com o engajamento do MD/DGD e outros parceiros, terá como preocupação, sobretudo o apoio pontual em casos emergenciais desses ex-atletas, nomeadamente questões de saúde e evacuação médica e outras de extrema necessidade.
Já o Fundo de Apoio aos Clubes, para o qual a FCF deverá ter o apoio da FIFA e de outros parceiros que queiram apoiar, terá como objetivo apoiar as equipas no seu desenvolvimento e, principalmente, premiar, como forma de motivação, as equipas que apresentem bons desempenhos, mais do que desportivos, administrativos: Aqui, realça o exemplo do Académico do Sal que, no seu entender, é exemplo de gestão tanto no que tange ao aspeto financeiro como do desenvolvimento e manutenção do património infraestrutural.
Outras preocupações abordadas têm a ver com o desenvolvimento do futebol feminino, tendo o diretor geral dos desportos, Anildo Santos frisado a necessidade de uma atenção especial para que não aconteçam situações como a do ano passado em que não houve campeonato nacional.
Semedo frisou o entendimento comum entre as partes quanto à importância do futebol feminino e recorda que foi durante a sua gestão no seu primeiro mandato que se implementou e consolidou o futebol das senhoras com oito nacionais consecutivos.
Inclusive, o presidente da FCF cita o bom entendimento com o Instituto Cabo-verdiano para a Igualdade e Equidade do Género (ICIEG), com quem já se reuniu, inclusive a quando da vista do presidente da FIFA, Gianni Infantino. Este avança a intenção da realização de um fórum para se debater o desenvolvimento do futebol feminino.
A FCF terá já um convite para a participação de uma seleção feminina numa competição internacional, estando a aguardar a confirmação da sua realização. Este questiona ainda como é que “havendo verba, inclusive, da FIFA para o futebol feminino” o ano passado não se realizou a competição
DGD