O treinador da equipa do Sport Clube Santa Maria (Sal), Pulídio “Pú” Brito admitiu hoje a possibilidade de a sua equipa vir a vencer a Taça de Cabo Verde, cujo primeiro desafio vai disputar em casa, dia 27 de Maio, frente ao Sal-Rei, da Boa Vista.


A Taça de Cabo Verde que este ano decorre sob a égide “Taça Caixa”, nome da empresa que vai patrocinar o evento, contará com o concurso de 10 equipas das diferentes regiões desportivas do País, distribuídas por três Pules, Norte, Centro e Sul, estando o arranque das competições aprazado para 26 de Maio.
A equipa do Sport Clube Santa Maria só entrará em cena no dia 27, jogando em casa no Estádio Marcelo Leitão, onde vai receber a sua congénere da Boa Vista, o Sal-Rei.
A esse propósito, em declarações hoje à Inforpress em jeito de antevisão da partida em apreço, o treinador Pú Brito disse que a sua equipa vai entrar nesse jogo “com a ambição e certeza de atingir a qualificação” para as meias-finais.
Participam na Taça Caixa as dez equipas vencedoras dos respectivos campeonatos regionais, sendo que neste torneio vai vigorar o formato de jogos a uma só mão por eliminatória até a finalíssima.
Segundo Pú Brito, a equipa do Sal Rei, apesar de ter terminado o campeonato nacional com apenas um ponto, demonstrou, contudo, um futebol “merecedor de respeito”, muito embora acredite que a sua e equipa terá o necessário fulgor para levar de vencida a equipa da ilha vizinha da Boa Vista.
Por isso, Pú Brito não esconde a sua expectativa face aos jogos que tem pela frente e que considera ser uma “boa oportunidade” de a equipa de Santa Maria se sagrar campeã da Taça Caixa.
“Pelo plantel que dispomos temos que delimitar apenas uma meta possível e esta passará sempre por atingir a final e vence-la”, argumentou o treinador do Santa Maria que, entretanto, coloca o factor gestão do plantel como o “desafio maior”.
Pulídio “Pú” Brito que já renovou contrato com Santa Maria, por mais uma época, promete à direcção e adeptos “vencer” o próximo campeonato regional.
“Eu e os meus jogadores trabalharemos ao mais alto nível, e prometemos dar o campeonato regional, primeiro, à direcção e seus adeptos e depois, ao meu pai que faleceu recentemente e que tem parte da sua história ligada a esta cidade”.
O Clube de Santa Maria que, segundo o treinador, investiu na “qualidade” da equipa na época passada, “naturalmente é aquele que sofrerá maior assédio no que diz respeito a saídas de jogadores”, mas garante não estar preocupado com isso, já que “tem a palavra e assinatura” daqueles que ao treinador interessa manter na equipa.
Santa Maria perdeu o último campeonato por dois pontos de diferença em relação a Palmeira, equipa que Pulídio acredita ter 50% de possibilidades de disputar a final do Campeonato Nacional.
“Palmeira está a fazer um excelente trabalho e fez o que nos últimos sete anos nenhuma equipa conseguiu fazer. Agora, porque não vencer o Nacional? Se fosse Santa Maria a atingir essa mesma meia-final com certeza que objectivo seria vencer a competição, temos plantel para isso,” enfatizou o treinador.
Inforpress