Rolando, defesa-central, internacional por Portugal, revelou em entrevista exclusiva ao Tribuna Expresso, que antes de ser chamado para representar Portugal o selecionador de Cabo Verde, na altura, Alexandre Alhinho, disse que ele não tinha condições para jogar na seleção de Cabo Verde.


“Antes de ser chamado à seleção de Portugal, o seleccionador de Cabo Verde veio falar com o Pelé, que lhe diz que tinha uns problemas familiares para resolver e não podia ir à seleção.  O Pelé sugere-lhe que me leve, a mim, porque eu era um miúdo, iria ser o futuro da seleção de Cabo Verde. Ainda me lembro desse dia, estava ao lado dele.  Mas o selecionador disse:  “O miúdo até não é mau mas não tem condições para jogar na seleção de Cabo Verde”, disse o defesa central, que nasceu em São Vicente.

“Foi um dia muito triste para mim que sonhava com a seleção de Cabo Verde, nem sonhava com a seleção portuguesa. Mas como o mundo dá voltas, passado uma semana liga-me o mister Agostinho Oliveira e perguntou-me: ‘Miúdo queres vir para a seleção de Portugal?’. E eu: ‘Mister desculpe mas não sou português, nem tenho documentos’. ‘Só te fiz uma pergunta. Responde sim ou não, o resto trato eu’. ‘Claro que gostaria’. A partir dali ele deu entrada da papelada para a minha nacionalização e assim já podia ser chamado. A primeira vez que fui chamado e convocado foi direto para o Europeu e foi óptimo.”, continuou.

Rolando adiantou ainda que ficou chateado de não ter representado mais a seleção de Cabo Verde.

“Fiquei chateado de não me terem levado daquela vez porque, na altura, era simplesmente cabo-verdiano, vivia em Portugal mas não era português. Não tinha documentos por isso não pensava sequer em representar Portugal. Mas a partir do momento em que o mister Agostinho Oliveira deu a entrada da papelada, dei-lhe a minha palavra que, se ele conseguisse, eu iria com muita alegria representar a seleção portuguesa. O estranho foi que depois o selecionador de Cabo Verde ligou-me a convocar. Mas eu disse-lhes: “Desculpem mas eu só tenho uma palavra e já dei a minha palavra à seleção de Portugal de sub 21. Há um mês disse-me que eu era um miúdo, sou o miúdo de sempre. O que é que mudou? Dei a minha palavra à seleção de Portugal e a minha palavra é uma. Já me decidi”, confessou o jogador, de 33 anos, que já teve passagens por  Belenenses, Porto, Nápoles, Inter de Milão, Anderlecht e por ultimo Olympique Marselha desde 2015/2016.

Recordamos que Rolando festejou a conquista da Liga Europa ao serviço do FC Porto com a bandeira de Cabo Verde.
ADP/tribuna expresso