O antigo internacional cabo-verdiano Silvino Monteiro Silva “Tchabana”, que está a passar por dificuldades de locomoção, reivindica uma maior atenção das entidades desportivas nacionais e um reconhecimento “em vida”.


Silvino, que representou a selecção e Cabo Verde por várias ocasiões, anda com o apoio de duas canadianas, para suportar uma lesão de joelho que contraiu no tempo em que era jogador de futebol.

Em conversa com a Inforpress, este antigo futebolista, que se destacava pela “raça e oportunismo”, disse que, por tudo aquilo que ele e os colegas fizeram pela selecção de Cabo Verde, mereciam uma outra atenção.

Para este antigo atacante dos Travadores, Boavista, Sporting da Praia e Vitória, assim como os artistas, “que foram reconhecidos e têm um tratamento diferenciado”, os antigos futebolistas merecem um reconhecimento.

“Levamos a bandeira de Cabo Verde para muitos países e corríamos muitos riscos e hoje estamos maltratados fisicamente e ninguém reconhece o que fizemos pelo nosso país e num tempo em que tudo era mais difícil”, justificou Silvino, que vive com a filha e netos numa habitação de “Casa para Todos, em Achada Grande Trás, na Cidade da Praia.

Em relação à carta endereçada ao ministro do Desporto reivindicando “uma necessária, indispensável e adequada intervenção” do Governo “no processo de reconhecimento” dos atletas, Silvino defendeu que se trata de uma revindicação “muita justa”, porque os futebolistas foram os primeiros a levar a bandeira de Cabo Verde para fora.

“O reconhecimento dos artistas é muito justo, mas nós também temos esse direito porque o desporto, especialmente o futebol, e a música estão em pé de igualdade pelo que fizeram e fazem pela imagem de Cabo Verde”, notou o antigo futebolista, que aos 65 anos quer um reconhecimento “em vida”.

Um grupo de antigos futebolistas internacionais cabo-verdianos solicitou “uma necessária, indispensável e adequada intervenção” do Governo “no processo de reconhecimento” dos atletas, “à semelhança dos que merecerem os músicos”, como forma de salvaguardar a dignidade dos que outrora representaram a selecção.

Os antigos internacionais como Flávio, Zé di Nhana, Silvino “Tchabana”, Branco e Frutuoso Tavares, relembram, no documento, que Cabo Verde é sobretudo conhecido pela sua música e pelo desporto, pelo que clamam uma atenção em sinal de reconhecimento.

Apontam os casos de Silvino e Dimas e outros, antigos jogadores que outrora representaram a selecção nacional”, inclusive com perda de salários, porquanto “não havia licenças para jogar a bola”.
Inforpress