De regresso a Cabo Verde após participação num torneio internacional em Lyon, França, onde a Associação da Escola de Futebol de Achada Grande Trás (EFAT) conquistou o segundo lugar e a Taça Fair-play, a direção da escola fez questão de agradecer presencialmente a DGD, na pessoa do Diretor-geral do Desporto, Anildo Santos, pelo apoio institucional.

Apoio este que ajudou a tornar realidade a primeira participação da escola num torneio fora do país. Santos, por sua vez, enaltece a prestação da EFAT no referido torneio e realça o excelente trabalho desenvolvido pela escola na sua comunidade e que é referência a nível da formação desportiva no país.
Edmilson Garcia, dirigente da EFAT e que liderou uma delegação de jogadores da equipa sub-13 que esteve no torneio em Lyon, sublinhou a importância desta experiência, não só porque permitiu mostrar a esses jogadores mostrarem o seu talento como, sobretudo, pelo intercâmbio com colegas de outros países e realidades.
Nisso, Garcia avança o convite para a participação da EFAT num outro torneio na Holanda, para além do repto lançado pela escola organizadora e anfitriã do referido torneio que ocorreu em Lyon entre 05 a 16 de junho último, o Feyzin Club Belle Etoile para que esta possa vir a Cabo Verde participar num evento de intercâmbio organizado pela EFAT.
Sobre isso, Anildo Santos diz que no momento certo serão analisados essas possibilidades “adentro as nossas condições”, sendo que a DGD está sempre aberta a apoiar como puder as escolinhas de formação desportiva em todas as modalidades.
Santos aproveitou a ocasião para enaltecer o “excelente trabalho” que vem sendo desenvolvido pela EFAT na formação técnica e moral dos atletas, como atesta o prémio fair-play neste torneio.
Sobre a prestação da equipa, o DG felicitou pelo 2º lugar e os troféus de melhor jogador ao atleta Jorge Rosa(Raul) e a Taça Fair-Play que mostra que estes jovens e a escola “estão no caminho certo”. “Obrigado por representarem e dignificarem Cabo Verde”, realçou Anildo Santos.
O DG sublinha ainda a atenção que o MD/DGD vem dando à formação desportiva, inclusive, no aspeto jurídico-organizacional. Este cita, por exemplo, o decreto regulamentar que estabelece o regime jurídico das escolas de iniciação e que estará à espera da promulgação do Presidente da República para sua implementação.
Este diploma aprovado no Conselho Nacional do Desporto e em Conselho de Ministros, vai dar um “aporte diferente” na legalização e organização das escolas de iniciação de todas as modalidades, reflete Anildo Santos.
Também presente nesta audiência, o assessor do Ministro do Desporto, Graciano Sena, fez questão de dirigir palavras de encorajamento a esses “atletas mirins” para que continuem a trabalhar com o mesmo afinco demonstrado até esta e para que possam singrar no futebol e constituírem exemplos para os que vierem depois deles.
DGD