O seleccionador de Cabo Verde, Lúcio Antunes, disse, em entrevista ao AOIFootball.com, que a recente queda da selecção nacional de futebol é resultado do desejo de desenvolver o desporto no archipelago.


Em cinco anos, Cabo Verde teve uma grande subida no futebol africano. Uma subida que viu os tubarões azuis perto de uma qualificação inédita para Copa do Mundo da FIFA 2014, não fosse por um erro administrativo de  colocar um jogador inelegível em campo  (Fernando Varela) na vitória por 2 - 0 frente a Tunísia . Durante esse periodo Cabo Verde qualificou-se para duas consecutivas Copa Africana de Nações (2013 e 2015).

"Estamos desenvolvendo o nosso futebol e essa é a razão pela qual não somos dominantes como antes. Não somos gigantes no futebol africano como Camarões, Gana, Nigéria ou Egito. Para dominar consistentemente o futebol no continente, precisa-se ter consistência e isso traz desenvolvimento", disse Lúcio à AOIFootball.com.

Cabo Verde perdeu 7 dos seus últimos 10 jogos, incluindo os últimos 4 em casa, com vitórias apenas contra São Tomé e Príncipe, Luxemburgo e Quênia.

Os tubarões azuis ficaram bem abaixo do topo do seu grupo na qualificação para o CAN de 2017, enquanto perderam ainda os dois primeiros jogos no seu grupo de qualificação para a Copa do Mundo da FIFA 2018.

Cabo Verde caiu para o 115º classificado no último ranking mundial da FIFA, actualizado no dia 6 de Julho.

Contudo Lúcio Antunes, que foi o catalisador inicial da rápida subida, antes de partir para o Progresso de Sambizanga de Angola em 2013, espera que o combinado nacional possa redescobrir em breve o seu toque vencedor.