A Federação Cabo-verdiana de Futebol (FCF) deu entrada na Confederação Africana de Futebol (CAF) um protesto sobre o jogo Ruanda-Cabo Verde, da quarta jornada do grupo F de qualificação ao CAN 2022,   alegando erro técnico da equipa de arbitragem, do Madagáscar, com prejuízo para a selecção nacional.



A informação foi avançada à Rádio de Cabo Verde pelo dirigente federativo, Eder Shamir Semedo.

O combinado nacional argumenta que só lhe foi permitida fazer quatro substituições quando o regulamento para a competição estipula cinco.

Semedo diz que trata-se de “uma violação do regulamento aprovado pela CAF para os dois jogos da terceira e quarta jornadas de apuramento para a Taça de África das Nações”.

Segundo o dirigente, “todas as federações foram informadas que nesses dois jogos seriam permitidas cinco substituições, em três momentos distintos, de acordo com o que a FIFA tinha aprovado desde Junho deste ano no quadro da pandemia da covid-19, medidas para facilitar o regresso de futebol, tendo em conta o calendário mais apertado das equipas e das seleções”.

Para Eder Shamir Semedo, apesar de ser uma regra que se aplica pela primeira vez a nível das seleções africanas , “é uma obrigação de todos os intervenientes do jogo conhecer os regulamentos em vigor”.

De acordo com Eder Shamir Semedo, Cabo Verde fez uma substituição ao intervalo e de acordo com o regulamento aprovado a substituição ao intervalo não conta para as três oportunidades.

“Na segunda parte houve duas substituições que foram feitas em simultâneo,….e isso conta como a primeira oportunidade.”, disse.

“Mais tarde entrou o Dylan Tavares. Isso seria a segunda oportunidade. E a 10 minutos do fim a nossa equipa técnica pretendia fazer a quinta substituição, que seria a terceira oportunidade dentro do regulamento para fazer entrar um jogador…e o quarto árbitro impediu Cabo Verde de fazer a substituição, alegando que já tinhamos utilizado os três momentos para fazer substituição.”, relatou o dirigente.

Eder Shamir Semedo Semedo, assegurou, que o protesto foi entregue ao comissário do jogo da CAF logo após ao final do jogo, e aguarda-se pelas decisões das instâncias superiores da CAF em relação a esta violação, que considera ser “um erro grosseiro”.

Eder Shamir Semedo, disse mesmo que no final do jogo, a equipa de arbitragem pediu desculpas a Cabo Verde, mas que as desculpas “não compensam os danos causados”.

Após os dois empates frente ao Ruanda, Cabo Verde, somou 4 pontos, e empatou com o Moçambique na tabela. Ruanda tem agora 2 pontos na qualificação.

Os Camarões soma 10 pontos e é o potencial vencedor do grupo F,  com a vitória, na segunda-feira, dia 16, frente ao Moçambique por 2-0.

Na qualidade de país anfitrião, Camarões qualifica-se automaticamente para a prova máxima do futebol africano. O segundo lugar do grupo ocupa a segunda vaga.

Cabo Verde receberá Os Camarões na cidade da Praia em Março de 2021 antes de se descolar a Moçambique uma semana depois para o último jogo de qualificação.

ADP
CrioloSports