Segundo o “site” do canal norte-americano ESPN a selecção nacional de futebol vem emergendo como uma potência no futebol Africano e tornou-se num adversário que deve ser evitado na qualificação para a Rússia 2018.


“33º posto na última atualização do ranking da FIFA, 2º posto no ranking africano, a frente dos  ‘pesos pesados’ como a Argélia, Gana, Senegal e Nigéria, sendo apenas ultrapassado pela atual campeã Africana, a Costa de Marfim, é um feito extraordinário para um dos países mais pequenos da África.”,  escreve o jornal.

“O arquipélago com população de um pouco mais de 500.000 encontra-se entre a elite do continente após a qualificação para as duas últimas Copas das Nações Africanas e chegando perto da qualificação para a  Copa do mundo no Brasil, antes de ser punido  por uso irregular de um jogador . “, continua.

“Tudo começou há 12 anos quando o ex- seleccionador nacional Alexandre Alhinho iniciou um processo de recrutamento na  diáspora. Na altura Cabo Verde ocupava um  modesto 129º posto no ranking.”, escreve.

O “site” destaca os treinadores Ricardo Rocha, João de Deus e Lúcio Antunes que ajudaram a pequena nação a tornar-se numa potência africana no futebol.

A reportagem fala ainda do sucesso dos tubarões azuis na CAN 2013 na África do Sul e do afastamento, ainda na fase de grupos,  da CAN de 2015, sem sofrer uma única derrota.

“Agora, com a aproximação do  sorteio de qualificação para Rússia 2018, Cabo Verde está entre os países muitos dos outros protagonistas vão querer evitar.” , conclui.