Tubarões Azuis


O novo seleccionador nacional de futebol de Cabo Verde, o professor Felisberto Cardoso, conhecido por Beto, terá utilizado o facebook para dispensar Cláudio Aguiar “Lito” da nova equipa técnica da seleção.


O presidente da Federação Cabo-verdiana de Futebol (FCF) Victor Osório regozijou-se, hoje, com o facto de a selecção nacional tornar-se na segunda melhor equipa africana e o 33º melhor da FIFA, alegando tratar-se de trabalho que vem de há muito.


Termina esta sexta-feira, 8, o prazo estabelecido pelo Governo à Federação Cabo-verdiana de Futebol (FCF), sobre o pronunciamento para comparticipar, de imediato, no pagamento dos oito mil contos ao demissionário seleccionador de Cabo Verde de futebol, Rui Águas.


A seleção nacional de futebol de Cabo Verde atingiu pela primeira vez na sua história a 2ª posição no ranking da FIFA, zona Africana, actualizado esta quinta-feira, 4.


A selecção nacional de futebol de Cabo Verde mantém-se na 39ª posição do ranking FIFA, actualizado esta quinta-feira, 7.


O treinador-adjunto da selecção de Cabo Verde Cláudio Aguiar “Lito” vai concluir no próximo mês de Junho o curso de treinador de nível II, podendo assim dirigir clubes da primeira divisão de Portugal e outras ligas europeias.


O novo seleccionador nacional de futebol de Cabo Verde, o professor Felisberto Cardoso, conhecido por Beto, escolheu o treinador do Bairro Djimy Barros e o ex-internacional cabo-verdiano Bassana para fazerem parte da sua equipa técnica.


O ex-presidente da FCF, Mário Semedo, decidiu romper o silêncio a que se remeteu, desde que deixou o comando da Federação Cabo-verdiana de Futebol, dando tempo ao seu sucessor para se afirmar no lugar.


O novo selecionador de Cabo Verde, o Professor Felisberto Cardoso, conhecido no meio desportivo por Beto, prometeu, em entrevista à RCV,  que vai dar continuidade ao trabalho feito pelo ex-técnico nacional Rui Águas.


Rui Águas afirmou, esta quarta-feira, estar a ponderar convites de vários clubes e seleções de futebol


Segundo o maisfutebol, a Federação Portuguesa de futebol (FPF) rejeita ter acordado com a sua congênere cabo-verdiana que iria pagar o salário do selecionador Rui Águas e do seu assistente Bruno Romão.