África: Emilio Nsue acusado de jogar ilegalmente pela Guiné Equatorial durante onze anos


Emilio Nsue foi acusado, pelo órgão dirigente do futebol mundial (FIFA), de jogar ilegalmente pela Guiné Equatorial durante onze anos.


De acordo com a FIFA o melhor marcador do CAN 2023 (5 golos), de 34 anos, disputou 42 partidas ilegais, tendo apontado 23 golos.

A FIFA revela que Nsue, nascido em Maiorca, Espanha, não deveria ser autorizado a jogar pela Guiné Equatorial porque já havia disputado 26 partidas pelas seleções juvenis espanholas antes de adquirir a cidadania da Guiné Equatorial em 2013.

Por esta razão, a FIFA decidiu suspender o jogador por seis meses e sancionou a federação equatoguineense (Feguifut) com uma multa de 150.000 francos suíços (US$ 164.000, £ 129.000).

A FIFA publicou seu julgamento em uma decisão de 15 páginas na segunda-feira, anulando as duas vitórias (ambos 1 a 0 graças aos golos de Nsue) da Guiné Equatorial nas eliminatórias para a Copa do Mundo de 2026 contra Namíbia e Libéria, dando vitórias de três golos aos dois oponentes.

Nsue pode, portanto, fazer uma pequena pausa no contrato que o vincula ao CF Intercity até meados de 2026.

Aquele que também jogou pelo RCD Mallorca, Real Sociedad, Middlesbrough e Birmingham City durante sua carreira, tem a oportunidade de contestar este veredicto da FIFA.

ADP/CrioloSports


Print   Email

         

Mais de 10 anos com os desportistas cabo-verdianos

 

 

 

SUBSCREVER AS NOSSAS NEWSLETTERS

Ao subscrever, tomo conhecimento que as newsletter poderão conter publicidade.
 

SUBSCREVER AS NOSSAS NEWSLETTERS

Ao subscrever, tomo conhecimento que as newsletter poderão conter publicidade.