Futebol África: FIFA pede suspensão de eleição na Federação Guineense de Futebol


A Federação Internacional de Futebol (FIFA) enviou, terça-feira, uma carta à Federação Guineense de Futebol (FEGUIFOOT, sigla em francês), pedindo-lhe para suspender, "até à nova ordem", o processo de eleição de uma nova federação.


Uma missão conjunta FIFA-Confederacão Africana de Futebol (CAF) viajará proximamente para a capital guineense, Conakry, com vista a encontrar com as partes interessadas do futebol local, para tomarem uma decisão favorável à "boa marcha" do futebol, anunciou a  instância reitora do futebol mundial.

De acordo com a carta da FIFA, esta missão conjunta dialogará com todos os interessados para avaliar a situação a fim de obter uma visão geral do problema antes de intervir ativamente no sentido de garantir um desenrolamento do processo eleitoral, conforme as exigências impostas a todos os membros.

A FIFA foi recentemente informada sobre  disfunções em certos órgãos da FEGUIFOOT e  possíveis violações dos estatutos e regulamentos aplicáveis, em relação ao processo eleitoral.

A instância dirigente do futebol mundial , representada pela sua secretária-geral, Fatma Samoura, em abril último, numa videoconferência organizada pelo Presidente guineense, Alpha Condé, informou o Governo guineense que o país poderia vir a ser suspenso, à luz de uma carta recebida e que acusava de várias falhas graves o presidente da FEGUIFOOT, Mamadou António Souaré, no tocante à sua candidatura a um segundo mandato.

O secretário-geral da FIFA explicou que Bouba Sampil, presidente do Association Sportive de Kaloum (ASK, Liga 1), lhe tinha enviado uma carta para denunciar factos e incoerências relativas a Souaré.

A candidatura deste último tinha sido rejeitado em Marrocos, em abril último, a um cargo da CAF  por não ter conseguido justificar a sua retirada da gestão da sua empresa de apostas desportivas, Guinée Games.
pana


Print   Email