Mundial de sub-17: França elimina Mali e junta-se à Alemanha na final. Mali critica arbitragem


Fim do sonho para o Mali no Mundial dos Sub-17 da Federação Internacional de Futebol (FIFA) de 2023, que decorre na Indonésia.


O último representante de África nesta competição global foi eliminado após derrota, por 2-1, esta terça-feira, contra a França em jogo da meia-final.

Os comandados de Soumaïla Coulibaly abriram o marcador pouco antes do intervalo (45º+4) por intermédio de Ibrahim Diarra.

Com os malianos reduzidos a 10 elementos após a expulsão de Souleymane Sanogo (55º), os franceses inverteram a tendência com golos de Yvann Titi (56º), que teve de ceder o lugar poucos minutos depois devido a lesão, e de Ismail Bouneb num magnífico livre (69º).

A França, que qualificou-se para a segunda final da sua história no mundial de sub17,  jogará a final no sábado, 2 de dezembro, no Estádio Manahan, em Surakarta (Indonésia), contra a Alemanha, que eliminou a Argentina na outra semifinal nos pênaltis, por 4-2, depois de um empate a 3 bolas.

Mali critica arbitragem

Para o treinador maliano, a arbitragem funcionou contra a sua equipa.

“Controlamos o jogo, lideramos. (…) Muitas vezes somos infelizes. A última vez foi contra a Espanha e hoje é a mesma coisa. A arbitragem está trabalhando contra nós”, confidenciou o técnico de 45 anos.

Sentimento ecoado pelo defesa  Gaoussou Koné, entrevistado após a partida.

 “A decisão do árbitro nos afetou. O cartão vermelho não está lá. (…) Respeitamos as indicações do treinador, jogámos. Mas infelizmente a arbitragem funcionou contra nós”, reclamou.

Mali ainda tem a oportunidade de homenagear o continente africano na diputa para o terceiro lugar contra a Argentina, no sábado.

ADP/CrioloSports


Print   Email

         

Mais de 10 anos com os desportistas cabo-verdianos

 

 

 

SUBSCREVER AS NOSSAS NEWSLETTERS

Ao subscrever, tomo conhecimento que as newsletter poderão conter publicidade.
 

SUBSCREVER AS NOSSAS NEWSLETTERS

Ao subscrever, tomo conhecimento que as newsletter poderão conter publicidade.