Futebol: Presidente da FCF defende que todas as instituições do desporto sejam auditadas



O presidente da Federação Cabo-verdiana de Futebol (FCF), Mário Semedo, defendeu hoje que todas as instituições ligadas ao desporto sejam auditadas, como forma de credibilizar a sua gestão e ganhar respeito dos parceiros.


Mário Semedo fez estas declarações momentos antes da apresentação de duas plataformas de gestão, uma de disponibilização de informação e conhecimento e outra de gestão das competições, na sede da FCF, na cidade da Praia.

Estes projectos, explicou, enquadram-se no investimento que a FCF está a fazer na boa governança.

“É fundamental que hoje apostemos na boa governança que é, não só recomendada, mas também exigida pelas instituições que gerem o futebol a nível mundial. Refiro-me concretamente à FIFA e CAF, duas intuições que financeiramente apoiam a FCF. Portanto nós estamos a fazer jus às recomendações dessas duas instituições”, acrescentou.

Mário Semedo afirmou ainda que hoje em dia não se pode estar no futebol sem ter em conta a boa governança na gestão das federações, das associações e dos clubes.

“Sem a boa governança é melhor esquecer. Hoje o futebol não é apenas fazer um calendário e organizar o campeonato. Terá que ser muito mais. Temos que aplicar muito para que, de facto, sejamos dignos do cargo que ostentamos para que as federações possam, de facto, desempenhar cabalmente o seu papel, que é de desenvolver o futebol”, frisou.

É dentro dessa política de boa governança, de boas práticas é que, disse, a FCF tem desenvolvido um conjunto de projectos, sobretudo ao nível da gestão financeira, “porque um dos princípios básicos da boa governança é a prestação de contas”.

“Se quisermos prestar conta convenientemente, temos que apostar numa boa gestão financeira. A FCF é auditada e defendemos que todas as instituições do desporto sejam auditadas”, avançou.

Mário Semedo defendeu ainda que o dinheiro que cada um recebe deve ser devidamente justificado, para que se possa também credibilizar a instituição, a sua gestão e fazer com que a mesma ganhe o respeito dos parceiros.

“Por isso, é uma aposta forte e a continuar na FCF”, finalizou.
GSF/JMV
Inforpress


Print   Email