Andebol: Presidente do Comité Olímpico Cabo-verdiano preocupada com o nível de desaparecimento de equipas


A presidente do COC mostrou-se hoje preocupada com o desaparecimento das equipas a nível das competições em Santiago/Sul e alertou que a aposta na formação nos escalões de base é a via determinante para o futuro desportivo.


A presidente do Comité Olímpico Cabo-verdiano (COC), Filomena Fortes, aproveitou a cerimónia de abertura de uma formação de massificação do andebol de base na ilha de Santiago, que decorre na Cidade da Praia, para ressaltar a necessidade de a modalidade passar a contar com mais pessoas para poderem trabalhar nesse sentido, pois que se manifestou preocupada com a fraca adesão dos participantes.

A líder do COC, instituição financiadora desta iniciativa, explicou que a formação em curso dá seguimento às já realizadas nas regiões desportivas de São Vicente, de Santo Antão e do Sal, como oportunidade de o país poder ter as mesmas capacitações nas ilhas onde o andebol é mais forte.

Sublinhou que nas outras ilhas não estão descuradas oportunidades do género, para que a formação possa ser multiplicada em todo o país, desde que haja interesse manifestado pelos responsáveis.

Por sua vez, José Silva, formador da Federação Internacional de Andebol, revelou à Inforpress que o curso de massificação de andebol de base na ilha de Santiago insere-se num programa mais alargado que tem em vista, fundamentalmente, uniformizar a abordagem ao jogo e ao treino.

Expert da Federação de Andebol de Portugal, Silva realçou que este projecto alargado conta com a égide do Comité Olímpico Cabo-verdiano (COC), e da participação da Federação Internacional de Andebol e que esforços foram envidados no sentido de adaptar esta formação ao contexto de cada uma das ilhas.

“Uma questão que é comum é a abordagem aos jogos nas suas fases mais elementares, na sua iniciação e quais são os conteúdos e contextos fundamentais para a abordagem do jogo nesta fase de formação dos jovens atletas”, sintetizou.

Com duração prevista de 08 a 13 do corrente, esta acção de formação, segundo avançou José Silva, vem aprofundando sobre o andebol cabo-verdiano e vai ter sessões teóricas no Centro de Estágio da Federação Cabo-verdiana de Futebol e prática no pavilhão desportivo Vavá Duarte.

Quanto à modalidade em Cabo Verde, afiançou que existe um grande potencial humano do ponto de vista dos atletas, com reflexos a nível internacional e nos atletas que competem nas equipas portuguesas “e com muitas qualidades”.

Ainda assim, considerou ser necessário trabalhar um pouco mais esta qualidade, mediante melhores condições de trabalho para que possam atingir o mais alto nível.
SR/HF
Inforpress


Print   Email