Andebol São Vicente: Atlético do Mindelo sagra-se tetracampeã em feminino



A equipa do Atlético do Mindelo venceu a equipa da Académica do Mindelo por 3-0 e sagrou-se tetracampeã regional de andebol, mas ainda reflecte sobre a possibilidade de participar no campeonato nacional.



As meninas do Atlético venceram no domingo, 02, por 23-18, o terceiro jogo do ‘play off’ final, sendo a melhor equipa de cinco jogos prognosticados, com três vitórias consecutivas.

Um resultado, que, segundo o treinador Aquilino Fortes, foi conseguido com dificuldades, mas, permitiu às suas atletas mostrar a sua superioridade dentro do campo e que foram “mais fortes” durante a época.

Entretanto, a mesma fonte lamentou o facto de terem feito o campeonato com apenas três equipas, Atlético, Académica e Amarante, que tiveram que defrontar-se em vários jogos.

“É complicado estar a defrontar sempre as mesmas equipas, há que repensar o aparecimento de mais equipas e apostar na formação. O futuro está na formação, senão daqui a pouco tempo corremos o risco de não haver campeonato em São Vicente”, alertou Aquilino Fortes.

Durante a tarde foi ainda entregue o troféu à equipa do Atlético, em masculino, que venceu o campeonato, pela segunda vez consecutiva, na semana passada, também contra a Académica do Mindelo, mas ainda aguardava a decisão de um protesto feito pela adversária que contestava uma falha técnica, mas que foi considerado improcedente.

Desta forma, as duas equipas de Aquilino Fortes estão com os passaportes carimbados para a participação nos campeonatos nacionais, mas, segundo o treinador, ainda prevalecem as mesmas condições que os levaram a desistir no ano passado.

“A Federação propõe as condições mediante os recursos que tem, mas aproveito para deixar uma chamada de atenção a quem direito na área do desporto, IDJ (Instituto do Desporto e da Juventude], Ministério do Desporto, para repensarem isso, porque é uma tarefa árdua fazer desporto em Cabo Verde”, sustentou.

Isto porque, considerou Aquilino Fortes, ser campeão “não é fácil”, porque “em vez de haver recompensa, há um novo desafio de arranjar dinheiro para duas equipas jogarem fora”, criticou a mesma fonte, referindo-se à despesa de cerca de 250 contos para alimentação de cada equipa e ainda a deslocação com viagem de barco.

“Isto tem que ser muito bem pensado, porque se continuarmos neste caminho, vamos matar o desporto”, sustentou, adiantando que a equipa deverá reunir-se para analisar as condições, se participam ou não dos nacionais de andebol, tanto masculino como feminino.

Por seu lado, a presidente da Associação Regional de Andebol de São Vicente (ARASV), Osvaldina Silva, exortou todos os mindelenses a apoiarem as equipas campeãs na participação nos campeonatos nacionais.

Quanto ao futuro da modalidade, a mesma fonte adiantou que a associação já começou a tomar algumas medidas para a sua dinamização, inclusive para a criação de algumas equipas através dos clubes de futebol, e garantiu já terem algum ‘feed back’ de alguns destes.

LN/HF

Inforpress


Print   Email

         

Mais de 10 anos com os desportistas cabo-verdianos

 

 

 

SUBSCREVER AS NOSSAS NEWSLETTERS

Ao subscrever, tomo conhecimento que as newsletter poderão conter publicidade.
 

SUBSCREVER AS NOSSAS NEWSLETTERS

Ao subscrever, tomo conhecimento que as newsletter poderão conter publicidade.